POLÍTICA

28/01/2009 - 11h53 - Atualizado em 30/01/2009 - 12h57

Tamanho da Letra:
Aumentar Letra  Diminuir Letra

Marinalva Ferreira é a presidente do CIS-Caparaó

A polêmica ficou por conta da chapa composta pelos prefeitos de Ipanema e Mutum. Confiantes na vitória diante de acordos anteriores, Dr. Júlio Fontoura (candidato a vice) com o candidato a presidente, o prefeito de Mutum, Gentil Simões, viram o sonho da continuidade ir embora. A Prefeita de Simonésia, Marinalva Ferreira, que nos últimos anos desconhece a palavra derrota, tirou a hegemonia da região de Mutum e ganhou presidência do CIS-Caparaó.

Foram mais de sete horas de embate e discussões. Em alguns momentos, o nervosismo e a pressão chegaram a criar atritos que quase levaram a uma divisão total do CIS. O grande ponto de discussão foram o prefeito de Santana do Manhuaçu, João Batista Vieira de Assis (João do Açougue) que não teve direito a voto por causa da inadimplência de sua cidade e o vice-prefeito de Lajinha, Adriano Alvim, que foi para a reunião com uma procuração para representar o prefeito.

O estatuto é omisso em alguns pontos. A permanência dos dois ou a exclusão era decisiva para a disputa entre as duas chapas. Eles representavam quase 20% dos votos.

João do Açougue reclamou do que fizeram com ele: “Porque Santana do Manhuaçu foi convidado para votar, sendo que não podemos votar. Vim aqui para pagar. Cheguei cedo e estou o dia inteiro aqui. Larguei meus afazeres e vim para aqui para isso”. Depois de uma reunião a portas fechadas, ele saiu sem votar.

O mesmo aconteceu com o vice de Lajinha. “O estatuto diz que só prefeitos podem votar. Estava munido de uma procuração e entendo que poderia votar, mas não vou entrar no mérito. Espero que quem ganhe dê dinamismo ao consórcio”, declarou.

O prefeito de São João do Manhuaçu, João Carolino, um dos fundadores do consórcio, chamou todos ao consenso e entendimento pela união do CIS. Durante a reunião, dos onze municípios somente nove puderam votar. A chapa de Marinalva Ferreira (presidente) venceu com cinco votos contra quatro.

DESPEDIDA

Teófilo Antonio Soares – ex-prefeito de Mutum e presidente por oito anos – considerou que foi uma decisão democrática. “Essa eleição foi uma demonstração do interesse da participação dos prefeitos. Nós não somos a favor do continuísmo”, argumentou.

O vice-presidente do CIS-Caparaó, Valdimir Ruela (prefeito de Martins Soares), ficou feliz porque o consórcio é muito importante para a região. Ele parabenizou Totim por ter estruturado o consórcio e desejou que Marinalva faça muito mais.

Para a nova presidente do CIS, toda a discussão faz parte do processo democrático. “Há pontos de vista diferentes e daí que a maioria decide e prevaleceu a proposta da nossa chapa”, contou Marinalva Ferreira.

Segundo ela, os primeiros passos são reuniões com os prefeitos de Durandé, São José do Mantimento e Conceição de Ipanema. “ Quero conversar com esses prefeitos e convidar para integrarem o CIS”, antecipou.

Atualmente, o CIS é composto por Taparuba; Ipanema; Santana do Manhuaçu; Simonésia; São João do Manhuaçu; Luisburgo; Reduto; Martins Soares; Chalé; Lajinha e Mutum.

O Consórcio Intermunicipal de Saúde é uma associação entre os onze municípios, visando assegurar ações e serviços de saúde à população, que sozinhos seria difícil de oferecerem aos seus moradores. Cada município participa com um repasse mensal ao CIS que direciona para atendimentos, principalmente em exames e consultas especializadas. Ele abrange cerca de 110 mil habitantes.

Carlos Henrique Cruz / Antônio José - 28/01/09 - 11:45 - portalcaparao@gmail.com 

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Portal Caparaó - Copyright 2009-2011 - Todos os direitos reservados
Desenvolvido por W3Vision