Portal Caparaó

carregando...

POLÍCIA

24/10/2011

PM combate tráfico em Manhumirim

A Polícia Militar de Manhumirim descobriu uma casa que funcionava como ponto de venda de drogas na região do Bairro Nossa Senhora da Penha, na tarde de sexta-feira, 21. Foram duas ocorrências na mesma rua. A segunda foi a prisão de um homem por volta de 21 horas.

A Polícia Militar recebeu informações de que, desde a noite de quinta, 20, ocorreu grande movimentação de venda de drogas na casa dos irmãos Ludgero Souza Almeida, 18 anos, e Vanusa de Souza Almeida, 25 anos, com a presença de Gilceleia Maria da Silva, 35 anos, uma adolescente e outras pessoas.

Com base nas informações, policiais intensificaram o patrulhamento no bairro, mas quando passaram na rua em frente a casa viram dois cidadão conhecidos no meio policial por uso de drogas sendo atendidos na janela por Vanusa e Gilcileia.

Durante as buscas na casa, foram encontradas, atrás de uma estante na sala, 21 pedras de crack embaladas e prontas para serem vendidas. Três menores foram apreendidas e mais seis adultos que estavam na casa onde a droga fora encontrada. Nenhum assumiu a posse do crack.
Ainda durante as buscas, a PM achou uma bucha de maconha embaixo da cama ainda molhada com saliva. Uma das menores afirmou que tinha tentado esconder a droga na boca.
Ludgero, Vanusa, Marley Antonio de Oliveira, 22 anos, Gilcileia foram autuadas em flagrante por tráfico de drogas. Os outros envolvidos foram ouvidos e liberados. Cinco celulares, 186 reais e as drogas foram apreendidas.

MAIS DROGAS

Edivaldo Reis da Cruz, 42 anos, foi localizado após a PM receber denuncia anônima, informando que ele estaria comercializando substâncias entorpecentes na rua Pedro Ricas, no Bairro Nossa Senhora da Penha.

Quando foi abordado, Edivaldo deixou cair uma pedra de crack que trazia na mão e pisou em cima. Na busca, ele tinha 150 reais em dinheiro e uma sacola com 12 pedras de crack e uma bucha de maconha no meio-fio em que estava sentado.

O homem foi preso e autuado por tráfico de drogas na delegacia de polícia.

Carlos Henrique Cruz - portalcaparao@gmail.com

Compartilhar

Comentários

O Portal Caparaó não se responsabiliza por qualquer comentário expresso no site ou através de qualquer outro meio, produzido através de redes sociais ou mensagens. O Portal Caparaó se reserva o direito de eliminar os comentários que considere inadequados ou ofensivos, provenientes de fontes distintas. As opiniões são de responsabilidade de seus autores.